AS MULHERES ESTÃO TOMANDO A INICITIVA NOS RELACIONAMENTOS. DEVO FAZER O MESMO?

namoroMinha querida amiga,

Graça e Paz para você!

Antes de responder à sua pergunta, vou reportar-me ao fato da história de sua vida, que você me contou que, aos 39 anos de idade, divorciada há seis, com três filhos com idades entre 17 e 22 anos, está infeliz, porque um de seu filhos, inconformado com a situação, deixou a igreja e isso, obviamente, preocupa você.

Quero lhe explicar que, emocionalmente falando, não é só o indivíduo, sozinho, que fica doente. Quando os laços familiares se desestruturam, normalmente a família inteira sofre as consequências e instala-se nela aquilo que chamamos de "patologia familiar". Ao se instalar essa patologia familiar, é comum que um dos filhos, normalmente o mais sensível, assuma, na figura que a psicanálise chama de "bode expiatório", os sintomas dessa patologia, para que o resto da família consiga ficar razoavelmente saudável. É claro que esse processo todo é inconsciente.

A meu ver, foi isso que aconteceu com o seu filho que saiu da igreja. Ele, como que "incorporou" a doença de um casamento mal acabado (porque ele não queria que acabasse) e "ficou enfermo", assumindo o "sintoma-protesto" de sair da igreja.

Você me pergunta se deve fazer terapia. Acho sempre ótimo poder fazer terapia, mas, com toda a honestidade, devo lhe dizer que, conforme consigo perceber, esse seu filho precisa muito mais do que você, dessa terapia. Procure cuidar disso!

Agora, respondendo à sua pergunta:

Você tem razão, quando diz que muitas mulheres estão tomando a iniciativa nos relacionamentos. De "caçadas", passaram à "caçadoras". E muitas delas, com enorme voracidade!

Embora sempre existam honrosas exceções, é comum, nos dias de hoje, uma mulher aceitar o convite para jantar de um "cavalheiro" que ela conheceu na Internet e ir para o encontro, não só sabendo, mas também desejando, e utilizando todas as armas de sedução que possui, para ser "a sobremesa". Em outras palavras, desejando que o "jantar" termine na cama! E é lógico que o "cavalheiro" em questão, pega o tabuleiro de xadrez e dá o xeque-mate! Mais um troféu para ele! Mais uma perua abatida e mais uma marquinha no cabo de sua espingarda!

Minha opinião: Não embarque nessa!!! Esse tipo de mulher jamais terá o respeito desse homem! Para ele, ela é como se fosse um coador de papel que ele usa e DESCARTA! Pode até continuar a "tirar uma casquinha" enquanto a "ficha" da vítima não cai. Mas, na hora que ela fechar o cerco para um relacionamento mais sério, como o casamento, por exemplo, o "cavalheiro" arruma mil desculpas: "ou sofre de determinada doença e tem que gastar muito dinheiro"; "ou tem que sustentar a ex e os filhos que estudam no exterior"; "ou têm que terminar o curso de pós-graduação", "ou têm de cuidar da fazenda no interior de Goiás" e centenas de outras desculpas esfarrapadas.

Homens como esse precisam ser reconhecido e desprezados pelas mulheres, principalmente, as cristãs!

O que querem mesmo é botar o pé na estrada, "queimar o chão", como os jovens dizem, na gíria, e partirem em busca da próxima vítima, do novo "troféu".

Mulheres caçadoras sempre acabam nas malhas dos "Don Juans" de plantão! E acabam envelhecendo, correndo de mãos em mãos, sem um verdadeiro amor para viver, vazias e infelizes!

Salomão tinha razão ao dizer que "vã é a graça e enganosa a formosura". Isso tudo passa, minha amiga. Mas o verdadeiro amor nunca temina!

Tive o privilégio de conhecer uma pessoa muito sensata que costuma dizer: "Bons homens existem. E, bons homens estão à procura de boas mulheres". Leia o capítulo 31 de Provérbios, sem preconceitos. E você saberá o que deve fazer.

Para o homem de hoje, acostumado às "facilidades" que as mulheres disponibilizaram para eles; facilidades essas que os seus pais, quando jovens só encontravam nas antigas "casas de tolerância", encontrar uma mulher bonita, charmosa, encantadora e fiel a Cristo, é como encontrar uma jóia preciosa num campo, e - até utilizando a metáfora de Jesus sobre o valor da salvação - por amor a ela, ele "corre, vende tudo o que tem e compra aquele campo". Só para adquirir a jóia que encontrou!

É mais difícil assim? Certamente! Mas quando isso ocorrer, terá valido toda a pena do mundo!

O último censo do IBGE realmente demonstrou que o Brasil possui mais mulheres que homens. Mas, numa percentagem quase insignificante, levando-se em conta a população como um todo.

O seu amado existe, minha amiga. Tem um nome, um endereço, uma profissão e, certamente, um coração alcançado por Deus. Apenas você não o encontrou ainda!

Porém, como dizem as Escrituras Sagradas:
"o que ninguém nunca viu ou ouviu, e o que jamais alguém pensou que podia acontecer, foi o que Deus preparou para aqueles que o amam." (1. Co. 2.9)

Que o amor de Cristo inunde o teu coração!

Nele, que em todas as coisas é fiel!

Antônio Tadeu


DIVULGUE NA SUA IGREJA O SITE: O ANALISTA RESPONDE"
www.analistaresponde.blogspot.com

sinto-me: mulheres, iniciativa, igreja
publicado por Antonio Tadeu Ayres às 03:34